ASSOCIE-SE
NOTCIA
Conhea o agente funerrio que rbitro de futebol nas horas vagas
Publicado em: 26/03/2018



Com a experincia de jogador em campo consigo tomar decises com maior preciso, diz Barbosa (centro)


Odair Jose Barbosa, 42 anos, já atuou profissionalmente como jogador de futebol, passou pelo Esporte Clube Operário (Mafra), Esporte Clube Continental (Rio Negrinho), Sociedade Desportiva Bandeirantes (São Bento do Sul) e pelo Caxias Futebol Clube (Joinville), atualmente é agente funerário em Rio Negrinho e aos fins de semana é árbitro de futebol.

 

Odair lembra que no auge de sua carreira sofreu uma lesão grave no joelho, teve fratura exposta, que o tirou do gramado por um bom tempo, o que o impediu de continuar como jogador. Anos depois, recuperado decidiu voltar a campo como árbitro. “Foram mais de 5 anos jogando profissionalmente, o futebol está no sangue, e fazer o que gosta não tem preço. Depois a vida lhe ensina que é preciso se adaptar as circunstância.”, pontua.

 

Com três troféus e mais de quarenta medalhas dos tempos áureos no esporte, Barbosa conta que atuar como árbitro foi uma das formas que escolheu para manter-se ativo no esporte. “Depois que deixei o futebol profissional já trabalhei como vigilante e há 3 anos estamos no ramo funerário. Como árbitro tenho a possibilidade de continuar no gramado, e com a experiência de jogador em campo consigo tomar decisões com maior precisão”, diz.